"PERFINS" SÃO PERFURAÇÕES NOS SELOS,
                                               EM FORMA DE LETRAS, NÚMEROS OU DESENHO

           A Perfuração foi a primeira forma usada pelas Empresas para facilitar o controle de estoques de selos. ATENTE,que a perfuração, nesse caso, corresponde a uma marca feita no selo e não a sua Denteação ou Picote.

          A criação do selos por Rowland Hill, em 1840, logo transformou as Empresas Inglesas em grandes usuárias dessa invenção. Mas as empresas começaram a perceber que seus estoques de selos diminuíram de maneira assustadora, sem dúvida em proveito de alguns funcionários pouco escrupulosos( pois, era possível revender os selos nos guichês ) ou então, tratava-se simplesmente dos primeiros colecionadores. Para acabar com essa situação, as empresas pediram à Administração Postal, permissão para imprimir nos selos, Marcas de Propriedade. A autorização foi concedida em 1856. O exemplo inglês foi seguido pela Suíça e pela Nova Zelândia.

          Em 1858, sempre na Grã-Bretanha, Joseph Slooper, requereu alvará para uma máquina de Perfurar, mas teve que esperar até 1868, quando a Autorização Oficial foi dada pelo Diretor-geral dos Correios, P.Parkhurst, para que os industriais  pudessem perfurar os selos  legalmente.

          Este monopólio da Casa Slooper  esteve em vigor até o ano de 1872. Foi em 1872 que apareceram os primeiros selos perfurados na Bélgica, e em 1876, eles surgiram na Suíça. Na França, as empresas fizeram a perfuração dos selos sem autorização oficial até 1873, quando a Administração Postal do País resolveu proibir esta prática, declarando que todo selo perfurado perde seu valor de franquia e a carta deve ser taxada. Entretanto, as Câmaras de Comércio solicitaram aos Correios, permissão para restabelecer esta prática.

         O acordo foi firmado em 15 de novembro de 1876 com o consentimento do Ministério da Fazenda. A perfuração era aceita com certas restrições; não deveria ultrapassar um terço da superfície do selo, deveria ser feita, de preferência, na parte superior do selo, e sobretudo, não alterar o valor facial deste.

         Essa regulamentação ficou em vigor até 1954; momento em que as  perfurações foram definitivamente proibidas, salvo sobre os selos fiscais. As perfurações se encontram sobre a quase totalidade dos selos ( correio aéreo, sobretaxa, ordinários, comemorativos, "colis postaux ", fiscais), sobre papéis timbrados, inteiros postais e cartas pneumáticas. Para não correr o risco de adquirir um perfurado de origem duvidosa, o filatelista deve sempre colecioná-lo sobre um objeto de correspondência com inscrição do nome da empresa.

         A perfuração dos selos é um fenômeno postal mundial presente em 150 países ou administrações postais. E

Escreva um comentário

Você deve acessar ou cadastrar-se para comentar.

Estudo de Perfins

  • Modelo: 07
  • Disponibilidade: Em estoque
  • R$0,00